sexta-feira, 27 de julho de 2012

Olimpíada de Londres


Nesta sexta-feira, começam oficialmente os Jogos de Londres, com a cerimônia de abertura a partir das 17h. Por isso, se você não é viciado/a em esportes ou bem desligado/a mesmo, seguem dicas para você entender alguns pontos básicos sobre a Olimpíada, desde os esportes bizarros que aparecem no calendário, até os direitos de televisão, passando pela relevância mínima do Brasil no quadro de medalhas. É aquele resumão para você não ficar boiando nas conversas e entender o que vale – e o que não vale – a pena nas próximas duas semanas.
 1- Esqueça a Globo, agora é Record
Culturalmente, nós brasileiros estamos acostumados a acompanhar os grandes eventos esportivos pela Rede Globo. Nesta Olimpíada, porém, é diferente. Assim como no Pan do ano passado, os direitos de transmissão pertencem apenas à Record, então se você quiser assistir aos Jogos na TV aberta, terá que sintonizar na emissora paulista. Entre os canais fechados, Sportv, ESPN e Bandsports são as opções.
2- Olimpíada não é Pan, e o Brasil não é potência
Se você acompanhou o Pan do ano passado, em Guadalajara, e acha que o Brasil repetirá em Londres as mesmas 141 medalhas conquistadas no México, esqueça. Jogos Pan-Americanos juntam apenas seleções aqui da América, com direito a times B dos Estados Unidos. Por isso as equipes brasileiras vão tão bem. Olimpíada é coisa de gente grande, tem atleta top do mundo todo, e por isso nossa expectativa é de alcançar apenas de 15 a 20 medalhas.
3- Quadro de medalhas, essa incógnita
Muita gente não entende como funciona a classificação dos países no quadro de medalhas das Olimpíadas. Por que um país que conquista 10 pódios pode ficar abaixo de um com apenas um ouro? Porque medalhas douradas valem mais do que todas as outras. A regra é simples (mais ou menos): quem tem mais medalhas de ouro vence o quadro. Depois valem as pratas e só depois os bronzes. Veja o quadro de 2008, por exemplo, e perceba que o Brasil e suas 15 medalhas ficaram em 23º lugar, enquanto a Romênia e suas 8 ficaram em 17º.
Fonte: Uol esportes

sexta-feira, 6 de julho de 2012

A importância do Cochilo



As crianças pequenas que não tiram o cochilo da tarde se tornam mais ansiosas e menos interessadas, além de serem mais estressadas, infelizes e terem um risco maior de desenvolverem problemas emocionais ao longo da vida, segundo o jornal Daily Mail.
Os pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, mediram os padrões e o tempo de sono de crianças de 2 e 3 anos, além de filmar as expressões faciais dos pequenos montando dois tipos de quebra cabeças em um dia de sono completo e outro quando eles não haviam dormido bem.
Os resultados mostram que as crianças cansadas que conseguiram completar o primeiro jogo foram 34% menos positivas em suas respostas emocionais do que quando estavam mais descansadas.
Outro teste mostrou que as crianças sem dormir que tentavam montar um jogo insolucionável ficaram um terço mais estressadas do que aquelas que haviam dormido. As crianças que não tiraram um cochilo também eram 39% menos curiosas sobre este jogo do que aquelas que haviam dormido bem.
O professor responsável pelo estudo apontou que o sono é uma necessidade básica dos pequenos, e que a falta dele pode influenciar o desenvolvimento emocional do cérebro.
Revista Pais&Filhos