segunda-feira, 31 de outubro de 2011

E-CAT - Escola para Catequistas

Catequista, a formação para um melhor desempenho de sua missão é uma das principais preocupações da Igreja na atualidade, bem como um dos maiores desejos daqueles que são apaixonados pela catequese. Por isso, visando atender à necessidade da Igreja de ir ao encontro do seu coração de catequista, a Faculdade Dehoniana criou a ECAT (Escola para Catequistas). Este projeto não tem finalidade meramente intelectual, mas também pastoral, pois quer lhe formar para a missão. Por isso, ele se desenvolverá em parceria com a Equipe Diocesana de Animação Bíblico Catequética, preocupando-se em articular o conteúdo teológico da Igreja com a metodologia catequético-pastoral em um casamento harmonioso entre o que a faculdade de teologia e a prática pastoral tem de melhor para lhe oferecer.

A Escola para Catequista tem por missão cuidar da formação de catequistas e por sua índole própria, procura fazer um equilíbrio entre conhecimento, afetividade, fé, comportamento e ação. Nas diversas dimensões que devem formar o catequista, a mais profunda delas se refere ao próprio SER da pessoa, a sua dimensão humana e cristã, amadurecendo-o como crente e apóstolo; assim ele deve SABER cumprir bem sua tarefa, conhecendo a mensagem que transmite e também, o seu destinatário, unido ao contexto social que o cerca;•por último engloba-se o SABER FAZER, “já que a catequese é um ato de comunicação; a formação tende a fazer do catequista um educador do homem e da vida do homem”. cf DGC 238


O projeto é iniciar em 2012 com uma Semana Catequética de 5 a 8 de março e aulas semanais as 3a.feiras das 19h30 as 21h30. Serão dois anos em quatros módulos:
1) Ser - Espiritualidade do Catequista
2) Saber I - A Bíblia na Catequese
3) Saber II - Verdades da Fé Cristã
4) Saber Fazer - Metodologia Catequética

No final será fornecido um certificado de extensão universitária da Faculdade Dehoniana.

Pe. Fábio dos Santos Modesto / Faculdade Dehoniana / Equipe Diocesana de Animação Bíblico Catequética

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Despedida do Trema

Estou indo embora. Não há mais lugar para mim. Eu sou o trema. Você pode nunca ter reparado em mim, mas eu estava sempre ali, na Anhangüera, nos aqüíferos, nas lingüiças e seus trocadilhos por mais de quatrocentos e cinqüentas anos.
Mas os tempos mudaram. Inventaram uma tal de reforma ortográfica e eu simplesmente tô fora. Fui expulso pra sempre do dicionário. Seus ingratos! Isso é uma delinqüência de lingüistas grandiloqüentes!...
O resto dos pontos e o alfabeto não me deram o menor apoio... A letra U se disse aliviada porque vou finalmente sair de cima dela. Os dois pontos disse que eu sou um preguiçoso que trabalha deitado enquanto ele fica em pé.
Até o cedilha foi a favor da minha expulsão, aquele C cagão que fica se passando por S e nunca tem coragem de iniciar uma palavra. E também tem aquele obeso do O e o anoréxico do I. Desesperado, tentei chamar o ponto final pra trabalharmos juntos, fazendo um bico de reticências, mas ele negou, sempre encerrando logo todas as discussões. Será que se deixar um topete moicano posso me passar por aspas?... A verdade é que estou fora de moda. Quem está na moda são os estrangeiros, é o K e o W, "Kkk" pra cá, "www" pra lá.
Até o jogo da velha, que ninguém nunca ligou, virou celebridade nesse tal de Twitter, que aliás, deveria se chamar TÜITER. Chega de argüição, mas estejam certos, seus moderninhos: haverá conseqüências! Chega de piadinhas dizendo que estou "tremendo" de medo. Tudo bem, vou-me embora da língua portuguesa. Foi bom enquanto durou. Vou para o alemão, lá eles adoram os tremas. E um dia vocês sentirão saudades. E não vão agüentar!...
Nós nos veremos nos livros antigos. saio da língua para entrar na história.

Adeus,
Trema.