sábado, 31 de dezembro de 2011

2011 se foi mas está chegando 2012

"Naquele tempo, Jesus tomou consigo a Pedro, Tiago e João, e conduziu-os a sós a um alto monte. E transfigurou-se diante deles. Suas vestes tornaram-se resplandecentes e de uma brancura tal, que nenhum lavadeiro sobre a terra as pode fazer assim tão brancas. Apareceram-lhes Elias e Moisés, e falavam com Jesus.  Pedro tomou a palavra: Mestre, é bom para nós estarmos aqui; faremos três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias. Com efeito, não sabia o que falava, porque estavam sobremaneira atemorizados. Formou-se então uma nuvem que os encobriu com a sua sombra; e da nuvem veio uma voz: Este é o meu Filho muito amado; ouvi-o. Mc 9, 2-7.
Este evangelho é ótimo para refletir sobre mudança. 2011 se foi e 2012 nada vai mudar se você não mudar. A transfiguração de Jesus é um convite a nos deixarmos transfigurar, transbordando aquilo que o Espírito de Deus está gerando em nós. Confira: "Maior é o que está em nós do que tudo aquilo que está no mundo" 1Jo 4,4. Mergulhe em 2012 em seu próprio coração, encontre-se com Deus e receba as maravilhas que o Senhor tem para te dar. Peça a Ele que as dificuldades da vida que roubaram o brilho de seus olhos em 2011, voltem a resplandecer em 2012 pois Jesus prevalecerá acima de tudo e o poder do Deus vivo mudará sua vida, transfigurando o triste semblante e enchendo-te com a beleza da vitória do ressuscitado, para que você transborde sobre todos ao seu redor a gloriosa luz da presença de Deus em sua vida. 

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Julgamentos precipitados

Não faça de tudo motivo para julgamentos precipitados ou palavras amargas. Espere; alargue as medidas do seu coração; aprenda a olhar para o outro com aceitação e, ao mesmo tempo, com esperança. Abrir mão de julgar (e muitas vezes abrir mão de querer “consertar” a outra pessoa, para que ela fique “do nosso jeito”) pode ser uma maneira de dar tempo para que as coisas mudem. Quando condenamos alguém, ainda que por coisas pequenas, estamos dando por encerrado algo que talvez Deus ainda queira transformar. Se desejarmos contar com a paciência de Deus a nosso favor, precisamos primeiro exercitá-la em benefício dos irmãos.
Fonte: Basta uma Palavra - Pe. Antonio José.
download grátis do livro: http://www.riodedeus.com/basta_uma_palavra.pdf

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Limites na TV

PROGRAMA EM FAMÍLIA
As recomendações dos especialistas para que pais
e filhos tenham uma relação saudável com a TV
O que fazer
Fotos Rubberball

 As crianças com menos de 9 anos não devem ser expostas a programas que exploram temas como sexo, violência e drogas. Portanto, estipule regras e horários para elas verem TV
 Os pré-adolescentes, de 9 a 12 anos, já sabem do que tratam algumas cenas e fazem perguntas que podem embaraçar os pais. Se for inevitável que eles vejam um programa mais espinhoso, é melhor que adultos estejam junto – e preparados para enfrentar questionamentos
 Os adolescentes, dos 13 aos 17 anos, têm bastante noção dos assuntos abordados na TV. Controlar o que eles vêem é uma missão impossível, mas nem por isso os pais devem abrir mão de debater os programas a que eles estão assistindo – inclusive na TV de seu quarto

O que dizer se for questionado
sobre uma cena forte

 Não transforme um papo desses numa aula de anatomia nem num sermão moralista
 Não fale em tom professoral, com o peito cheio de ar
 Seja honesto: se estiver constrangido, diga isso em vez de se esconder atrás de polissílabos proparoxítonos. Se não souber o que dizer, fique calado. Você não é um palestrante de passagem que tem de dizer tudo naquela hora
 Procure saber como seu filho está se sentindo diante da cena incômoda e abra espaço para a resposta
 Não seja hipócrita. Não adianta condenar a violência da cena se você é dos que acham que um tapa bem dado vale mais do que mil palavras
Fontes: Lídia Aratangy, psicóloga, Miguel Perosa, psicoterapeuta e professor de psicologia, Alexandre Saadeh, psiquiatra, e Magdalena Ramos, psicóloga